domingo, dezembro 06, 2009

Cuidado: O silêncio esta quieto!


Eu devo ser muito conservador, muito chato, muito dessas coisas que definem uma pessoa na linha da caretice.

Mas tenho visto muita coisa banalizada, sexo, relacionamento, a saúde humana... A vida humana toda num contexto geral!

Monótono?

Não vejo algo melhor do que dar o máximo de prazer a sua mulher ou seu homem, conhecer o corpo dela(e), seus pontos fracos, ou pontos em que sente mais tesão, os pontos em que sente mais romântica(o), que sente mais a caricia ou que sente raiva ou cócegas, etc. Outro dia uma pessoa me disse que não se importaria de seu parceiro transar com outra pessoa desde que fosse apenas sexo, casual, é claro que eu respeito isso, mas ao meu ver isso é fútil demais, uma pessoa se propor a ser apenas um numero, algo que foi usado e depois descartado.

Otário?

Enquanto umas se prestam a esse papel outra ficam servindo de ancora, ‘poxa’ tantas pessoas acham que temos que sempre ser fortes, uma hora não agüentam uma hora precisamos nos afundar e chorar um pouco, sentar ou deitar e desfrutar de uma linda, amável e doce deprê. Isso serve de alguma coisa, para se situar, não esquecer do que precisamos e do que podemos descartar, serve pra abrir um pouco os olhos.

Será que eu sou romântico?

Acho que relacionamento se divide entre paixão, amor e respeito.
Paixão ,claro é mais físico, amasso, sexo nos mais variados lugares , uma pegação desenfreada e saudável, mas ninguém agüenta assim durante uma vida inteira. Por isso amor é calmaria, amor é algo firme, auto-sustentável, é amar ‘defeitos’ e corrigir o que sempre foi muito corretinho, amor é se perder sabendo o caminho da volta.
Respeito, o tal do respeito, saber que o outro esta longe e que tal faria o mesmo por você, já é alguma coisa. Prefiro ser fiel a me usar para outras pessoas. Mas falo de respeito também ao espaço a outra pessoa, eu nem me importo muito que mexam nas minhas gavetas, mas que coloque as coisas onde estavam, ai eu me importo bastante.

Será que eu sou fútil?

Eu acho muitíssimo bom, por uma bela de uma musica brega (se não for brega não tem muita graça) – (Risos), deitar no chão e falar um monte coisas sem sentido, contar piadas sem graça, fala de coisa seria de forma bem sarcástica, comer um monte de porcaria e começar a cantarolar a tal musica, adoro coisas simples!

Me parece...é como se as pessoas tivessem inventado uma mentira e esquecido que não é verdade, ou uma verdade e esquecido que é mentira.
Por que não ser sincero? Por que fazer jogos inúteis com as pessoas? Por que o puder em dar carinho?

’Putz’, pessoas morrendo em filas de hospitais, os doentes morrem e as pessoas sãs agonizam. Falta de funcionários, falta de qualidade no atendimento, não to falando nenhuma novidade! Agora sim estou sendo repetitivo! É...é... eu preciso de um carro novo por que a Brasília ta toda estourada!
Chega de assistencialismo, nosso presente não pode ser o futuro dos nossos filhos!
O que é bom pra mim, tem que ser bom pro meu vizinho, pois o que o meu vizinho faz vai interferir na vida do meu filho e eu na vida do filho dele!
Parem de esperar um milagre, parem, que Deus o quê, parem de rezar e fazer suas preces, parem, parem com essa mania de esperar por algo que vai chegar e salvar de tudo o que incomoda, não assinem mais seus atestados de incapacidade, chega. Combinado?

Ah, como alguém pode dizer eu existe a “raça negra”? Me digam quais as outras raças humanas!!!Os Gays?As lésbicas? Os bi-sexuais? Incrível a tamanha burrice de quem diz algo do tipo.

A liberdade é o que prende as pessoas, mas as pessoas se trancaram nelas mesmas, estão em celas bem fechadas e escuras. Posso parecer meio contraditório, eu comecei falando sobre uma tal “liberdade” e agora falo que as pessoas estão presas, mas não é isso, eu só quero o que acho ser a essência da coisa.

Eu não to dando respostas, não to dando perguntas, vocês não me entenderam e eu não disse nada(Risos).
Eu gosto de bala de pimenta e preciso de doses de açúcar, acabei de tomar um chá, são 17 horas agora, estou ouvindo Lulu Santos e não sei como terminar esse texto.


Por,

Marlon L
Contato: marlonpl20@hotmail.com

Um comentário:

  1. Vivemos em um mundo em que somos reféns de imagens. Esqueceram quem somos, de onde viemos e para onde vamos. O amor é algo que todos falam da boca para a fora como uma moeda de troca para se ter sexo. Te amo para cá! Te amo para lá! E depois que conseguem o que querem, pronto. Somem! Tudo acaba... Amar e compartilhar, gostar da pessoa como ela realmente é, e ajudar este alguém a crescer sempre e ficar orgulhoso de suas conquistas. Amor não sente inveja. Amor dá forças. Mobiliza! Ajuda! Mas, nem todos estão prontos para seguirem estas linhas tão delicadas do amor. O sexo está banalizado. Trepar por trepar com um cara que depois passa por você e finge não te conhecer. Ok! É biológico, faz bem para a pele, desestressa, mas lembrem-se que o chocolate estimula nosso cérebro nos dando o mesmo prazer do sexo. Então, se entupam de bombons ao invés de transarem com pessoas que apenas irão te usar. E respeitar, poder compartilhar, ser íntimo, não ser vergonha de sua natureza, de arrotar, chorar, babar, roncar com quem amamos é sinal de que esta pessoa está conosco por que gosta do que somos, e não da embalagem que a sociedade nos impõe goela abaixo! Libertem-se, mas não se libertinem! Sejam livres para amar, sem medo se irão ficar pobres, ou que o homem dos seus sonhos só valerá a pena se tiver um Honda Civic 2010. O que tem andar de ônibus com quem amamos? O que importa é o que sentem! É disso que falo! A busca eterna da felicidade sem deixarmos sermos influenciados pelos paradigmas de uma sociedade que perdeu seus valores....

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...